top of page

Brasol lança projeto solar de R$ 250 milhões em Mato Grosso

Companhia capta operação de R$ 100 milhões no mercado para complementar seu investimento de equity.

A Brasol, empresa do grupo Siemens para projetos de geração de energia limpa, está investindo em 45 usinas de geração solar distribuída que serão locadas para consumidores residenciais e pequenas e médias empresas do estado do Mato Grosso, em parceria com Grupo Oeste e Enersim.


Imagem: Divulgação


As usinas somam capacidade total de geração de 58 MWp e receberão investimento total de R$ 250 milhões, com recursos da Brasol e coinvestidores parceiros.


Para financiamento das primeiras 15 usinas, a Brasol captou R$ 100 milhões em parceria com a plataforma de investimentos EQI, em operação realizada através de certificados de recebíveis imobiliários, e prepara a estruturação de operação similar para levantar mais R$ 150 milhões para financiar as outras 30 usinas, que compõem a parceria com a Enersim.


Atualmente a Brasol está analisando um total de seis operações de parcerias e M&As (fusões/aquisições) com desenvolvedores de projetos de geração distribuída, analisando oportunidades em usinas já construídas, além de projetos green e brownfield.


Para o desenvolvimento dessas operações, a empresa conta com R$ 500 milhões de seu próprio balanço, além da alavancagem que é capaz de estruturar e atrair para os projetos.


De acordo com o diretor de Investimentos da companhia, Carlos Bacha, o mercado de geração distribuída está muito aquecido, com diversos projetos em busca de funding num momento em que as taxas de juros se encontram em patamares altos, e muitos players estão competindo pelo mesmo capital.


“Esses projetos têm prazo determinado para serem construídos, pois os pareceres de acesso vencem 12 meses após a emissão pela concessionária.


A solidez de nosso balanço, governança e capacidade de execução nos coloca em uma posição privilegiada para viabilizar os projetos tanto do ponto de vista financeiro quanto da capacidade de execução”, afirma.


Fonte: Fotovolt