Curso de Eletricista Instalador | Bônus Exclusivos e Gratuitos Inclusos no Curso

REF: 823

Eletricista Instalador - Aprenda tudo sobre Instalação Elétrica. Ao completar o curso, você tem direito a um Certificado de Conclusão de Curso com o seu nome. Você poderá acessar livremente o curso durante 365 dias. Durante esse período terá acesso a todos os conteúdos disponibilizadas e a todas as novidades.

  • Conteúdo do Curso

    Um breve resumo do curso, para você ter uma pequena amostra de tudo que vai aprender. 

    Geração de energia elétrica

    Nesta vídeo aula o aluno irar aprender tudo sobre os pilares da geração de energia elétrica alternada, o progresso do aprendizado neste curso depende diretamente das aulas teóricas, portando não pule este vídeo.

    Transmissão de energia elétrica

    Transmissão de energia elétrica é o processo de transportar energia entre dois pontos. O transporte é realizado por linhas de transmissão de alta potência, geralmente usando corrente alternada, que de uma forma mais simples conecta uma usina ao consumidor.A transmissão de energia é dividida em duas faixas: a transmissão propriamente dita, para potências mais elevadas e ligando grandes centros, e a distribuição, usada dentro de centros urbanos, por exemplo.Cada linha de transmissão possui um nível de tensão nominal, onde encontramos valores até de 750 kV, com diversos estudos e protótipos em 1 a 1,2 MV. As linhas de distribuição são usualmente na faixa de 13,8 kV no Brasil, e 15KV em Portugal continental. Para a conversão entre níveis de tensão, são usados como equipamento fundamental o transformador de potência.

    Os transformadores de grande porte (para grandes elevações ou diminuições na tensão do sistema) encontram-se normalmente nas subestações.Em sistemas de grande porte, é usual a interligação redundante entre sistemas, ou ainda a ligação em anel, formando uma rede. O número de interligações aumenta a confiabilidade do sistema, porém aumentando a complexidade. A interligação pode tanto contribuir para o suprimento de energia quanto para a propagação de falhas do sistema: um problema que ocorra em um ponto da rede pode afundar a tensão nos pontos a sua volta e acelerar os geradores, sendo necessário o desligamento de vários pontos, incluindo centros consumidores, provocando um blecaute.

    Transformação de energia elétrica 

    Transformador é um dispositivo destinado a modificar os níveis de tensão e corrente elétrica, mantendo potência elétrica praticamente constante, de um circuito a outro, modificando também os valores das impedâncias elétricas de um circuito elétrico. Inventado em 1831 por Michael Faraday, os transformadores são dispositivos que funcionam através da indução de corrente de acordo com os princípios do eletromagnetismo, ou seja, ele funciona baseado nos princípios eletromagnéticos da Lei de Faraday-Neumann-Lenz e da Lei de Lenz, onde se afirma que é possível criar uma corrente elétrica em um circuito uma vez que esse seja submetido a um campo magnético variável, e é por necessitar dessa variação no fluxo magnético que os transformadores só funcionam em corrente alternada.

    Aterramento e previas 

    Então, vamos ver o que é o aterramento: Primeiramente, a principal função do Aterramento é o escape da energia para um local seguro, onde ela possa se dissipar. Com isso, o aterramento elétrico, praticamente está presente em todo do sistema elétrico, desde a geração, na distribuição e no consumo da energia elétrica.Sendo o aterramento elétrico, parte ativa ou um elemento do sistema elétrico, que atua em condições preestabelecidas. Desta forma, deverá desempenhar a sua função com eficiência, sempre que necessário. Para que funcione assim, um bom projeto é indispensável! Com isso, o Aterramento Elétrico Residencial é uma das formas que temos de interferirmos de maneira segura na eletricidade. E, o sistema de Aterramento é fundamental e obrigatório para todas as instalações, sejam residenciais, prediais ou industriais ou simples circuitos.

    Como ler projeto elétricos 

    Um Projeto Elétrico é a previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos pontos de utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores, divisão em circuitos, seção dos condutores, dispositivos de manobra, carga de cada circuito, carga total, etc.

    De uma maneira geral, o projeto compreende quatro partes:

    • Memória, em que o projetista justifica, descreve a sua solução;

    • Conjunto de plantas, esquemas e detalhes que deverão conter todos os elementos necessários à perfeita execução do projeto;

    • Especificações, onde se descreve o material a ser usado e as normas para a sua aplicação;

    • Lista de Materiais, onde é levantada a quantidade de materiais.

    Vantagens de um Projeto Elétrico em sua obra:

    • Economia, na aquisição de matérias;

    • Economia na execução das instalações;

    • Segurança das suas instalações;

    • Dimensionamento correto e personalizado para as suas necessidades;

    • Previsão de consumo para melhor rendimento do mesmo;

    • Entre outras várias vantagens. Desvantagens ao não ter um Projeto Elétrico em sua obra:

    • Super-dimencionamento de circuitos;

    • Sub-dimensionamento de circuitos;

    • Falta de segurança nas instalações;

    • Custos ficam mais elevados devido ao super-dimencionamento;

    • Instalações desconformes as normas vigentes;

    • Difícil execução.

    Grandezas elétricas na pratica

    Quais são as principais grandezas elétricas? Neste vídeo vamos falar o que é tensão, corrente, resistência e potência elétrica. Entenda quais são as suas unidades de medida, e como cada uma dessa grandezas se comportam no circuito em série ou em paralelo. 

    Quantidade de tomadas por ambientes 

    Nesta vídeo aula vamos aprender fazer o dimensionamento das tomadas de uso geral e das tomadas de uso especifico, vamos estudar as condições para se estabelecer a potência mínima para as tomadas de uso geral (TUG’s) e tomadas de uso específico (TUE’s) e conhecer o esquema de ligação de cada tipo de tomada.

    Quantidade de TUE

    Tomadas de Uso Específico – TUE. Bom, essas são tomadas utilizadas para equipamentos específicos (como o nome também já diz), que necessitam de uma instalação especial, geralmente compreendida entre 10 e 20 amperes, podendo também ultrapassar esse número.

    Esse tipo de instalação costuma ser para equipamentos que demandam mais energia, como chuveiro, torneira elétrica e secadora de roupas.Mas uma TUE não precisa necessariamente ser uma tomada! Muitas vezes estamos falando de uma ligação sem tomadas, feita com ligação direta de fios ou com uso de conectores.

    Para se estabelecer uma potencia mínima nas tomadas de uso específico, é preciso atribuir a potencia nominal do equipamento a ser alimentado. Portanto, não existe uma regra básica. É por isso que o planejamento antecipado da organização e decoração do projeto faz com que você tenha um circuito elétrico adequado. Muita gente esquece que alguns aparelhos precisam de uma instalação especial. É muito comum ver no mercado adaptadores de tomadas com fêmea 20 A e macho 10 A.

    Utilizar essa peça pode ser muito prático, porém perigoso, uma vez que a fiação e o disjuntor não estão preparados para suportar um alto consumo de corrente. Isso pode ocasionar superaquecimento dos fios e um eventual incêndio. 

    Cargas instaladas 

    Carga Instalada é a soma das potências nominais de todos os equipamentos elétricos instalados na unidade consumidora, que poderão a qualquer momento entrar em funcionamento, é descrita em quilowatts (kW).

    Entrada de energia

    Padrão de Entrada é o conjunto de instalações composto de caixa de medição, sistema de aterramento, condutores e outros acessórios indispensáveis para que a Coelba faça a sua ligação.

    O Padrão de Entrada indicado para o seu imóvel vai depender do tipo de ligação, que pode ser Monofásica, Bifásica ou Trifásica, e do local adequado para sua instalação, que pode ser em poste, pontalete, muro ou parede. Com o Padrão de Entrada correto, você economiza tempo, dinheiro, evita danos nos eletrodomésticos e agiliza a sua ligação.

    Quadros de distribuição vídeo aula passo a passo

    Um quadro de distribuição é um equipamento elétrico destinado a receber energia elétrica de uma ou mais fontes de alimentação e distribui-las a um ou mais circuitos. Destinado a abrigar um ou mais dispositivos de proteção e/ou manobra e a conexão de condutores elétricos interligados a eles, a fim de distribuir a energia elétrica aos diversos circuitos. Em qualquer instalação elétrica, devemos saber como realizar os procedimentos correspondentes à execução de um projeto elaborado previamente, em conformidade com as especificações previstas na NBR 5410 (norma que regulamenta as instalações elétricas em baixa tensão) e NR-10 (segurança em instalações e serviços em eletricidade).

    No caminho até os interruptores e tomadas, essa energia passa pelo quadro de medição que está associado a um equipamento o qual mede o consumo mensal (medidor) e daí então chega através de um ramal de entrada ao chamado quadro de distribuição de onde partirão os circuitos que irão alimentar pontos de luz (ou lâmpadas), interruptores para acionamento das lâmpadas (comandos), tomadas que fornecerão energia aos aparelhos eletroeletrônicos a elas plugados, além de cargas cuja potência é considerada elevada como chuveiros elétricos, máquinas de lavar, forno micro-ondas, etc.

    Os disjuntores conforme vimos, servem para proteger os circuitos que alimentam as cargas em todo o ambiente (seja residencial ou comercial).

    Existem dois barramentos contendo os condutores neutro e de proteção aonde o primeiro deve estar isolado eletricamente do quadro de distribuição e o segundo (de proteção) deve estar acoplado a ele, constituindo portanto a proteção dos circuitos contra choques no contato indevido com superfícies conduzindo energia, sendo que este encontra-se ligado ao aterramento geral da instalação.

    Quantidade de circuito 

    Os circuitos elétricos são utilizados para ligar dispositivos elétricos e eletrônicos de acordo com suas especificações de funcionamento, referentes à tensão elétrica de operação e à corrente elétrica suportada pelo dispositivo.

    Além disso, são usados para distribuição da energia elétrica em residências e indústrias, conectando diversos dispositivos elétricos por meio de fios condutores, conectores e tomadas.

    Planta da apostila

    Neste aula você ira conhecer a planta baixa do nosso projeto piloto.

    Planejamento

    Como planejar a distribuição dos circuitos elétricos dentro dos conduítes.

    Passando circuito I

    Como puxar os circuitos elétricos pela casa toda.

    Circuitos terminais

    A instalação elétrica residencial é dividida em circuitos terminais. A divisão em circuitos terminais facilita a operação, amanutenção da instalação além de reduzir as interferências entre os diversos equipamentos de utilização de energia.

    Divisão de uma instalação elétrica em circuitos terminais A divisão em circuitos terminais também permite reduzir a queda de tensão e a corrente nominal nos circuitos possibilitando o dimensionamento de condutores e dispositivos de proteção de menor seção e menor capacidade nominal. Ao se evitar projetar circuitos terminais muito carregados (com elevada potência nominal), se evita condutores de seção nominal elevada.

    É importante destacar que fios de elevada seção nominal acarretam dificuldades na execução da instalação desses nos eletrodutos e nas ligações dos mesmos aos terminais dos aparelhos de utilização (interruptores; tomadas e luminárias).

    Accessórios para uma boa instalação

    Conheça alguns acessórios que ajudaram a deixar seu trabalho muito mais bonito, funcional e organizado.

    Fechamento derivações na pratica

    O que é e como fazer fechamentos e derivações de circuitos.

    Interruptor simples

    Neste vídeo vou te ensinar como instalar um interruptor simples.

    Tomada e interruptor

    Aprenda como instalar um interruptor e uma tomada na mesma caixinha.

    Interruptor Paralelo

    Aprenda como executar um interruptor paralelo.

    Interruptor intermediário

    Como executar um interruptor intermediario.

    Montagem final do QDC

    Montagem do quadro geral de distribuição na pratica. obs: em alguns dias sera liberado os demais videos em campo.

    Multímetro digital

    Um multímetro ou multiteste (multimeter ou DMM - digital multi meter em inglês) é um aparelho destinado a medir e avaliar grandezas elétricas. Existem modelos com mostrador analógico (de ponteiro) e modelos com mostrador digital.Utilizado na bancada de trabalho (laboratório) ou em serviços de campo, incorpora diversos instrumentos de medidas elétricas num único aparelho como voltímetro, amperímetro e ohmímetro por padrão e capacímetro, frequencímetro, termômetro entre outros, como opcionais conforme o fabricante do instrumento disponibilizar.

    Tem ampla utilização entre os técnicos em eletrônica e eletrotécnica, pois são os instrumentos mais usados na pesquisa de defeitos em aparelhos eletro-eletrônicos devido à sua simplicidade de uso e, normalmente, portabilidade.Diferentes fabricantes oferecem inúmeras variações de modelos. Oferecem uma grande variedade de precisões (geralmente destaca-se a melhor precisão para medidas em tensão CC), nível de segurança do instrumento, grandezas possíveis de serem medidas, resolução (menor valor capaz de ser mostrado/exibido), conexão ou não com um PC, etc.Há modelos destinados a uso doméstico (onde o risco de um acidente é menor) e modelos destinados a uso em ambiente industrial (que devido as maiores correntes de curto-circuito apresentam maior risco). A precisão de leitura (exatidão) não é o que diferencia estas duas opções e sim sua construção interna (trilhas do CI mais espaçadas, maior espaçamento entre a placa de CI e a carcaça e maior robustez a transientes nos modelos industriais).

    Alicate amperímetro

    Utilizado para medir a corrente elétrica em determinadas situações, o alicate amperímetro é um dos instrumentos mais seguros e práticos para se obter resultados precisos e com agilidade.

    A principal característica do alicate de amperímetro é sua capacidade de medir o campo induzido através da corrente que passa em suas pinças, sem ter contato direto com o circuito.

    É uma ferramenta ideal para medição de voltagens moderadas (menores que 480 Volts) e para aplicações de correntes.

    Ferramentas para iniciar​​​​​​​

    As principais ferramentas para eletricista.

    Ferramentas elétricas​​​​​​​

    As principais ferramentas elétricas utilizadas na obras.

    Escadas

    Exemplo de escadas para usar na obra.
     

  • Fale Conosco

    Fornecemos atendimento especializado em energia solar, estamos dedicados a fornecer a você um atendimento extremamente agradável. Sua satisfação é nossa prioridade.

    Central de atendimento 
    WhatsApp: +55 (31) 97329-5479​
    contato@energiasolarshop.com.br