MEC libera R$ 60 milhões para usinas fotovoltaicas em universidades


Boa notícia para as universidades públicas do Brasil, pois o Ministério da Educação MEC, recentemente anunciou a liberação de verba para as instituições investirem em energia solar.

O Ministério da Educação (MEC) liberou R$ 60 milhões para compra e instalação de 852 usinas fotovoltaicas, que usam a radiação gerada pelo sol para produzir energia, em 38 institutos federais, dois centros de educação tecnológica e no Colégio Pedro II, no Rio de Janeiro. Segundo o MEC, o objetivo é gerar economia de energia elétrica. A previsão é que sejam poupados R$ 17,7 milhões por ano. Cada placa solar deverá ser usada por pelo menos 25 anos.

Conforme o MEC, cada placa solar deve gerar em média 30,3 MWh/ano de energia ao ano, o que corresponde a uma redução de R$ 20,8 mil nas contas de luz de cada instituição.

Governo prevê que placas tragam redução de R$ 20,8 mil nas contas de luz de cada instituição | Foto: Charly Triballeau / AFP / CP

O valor vai variar de acordo com tarifa da concessionária de energia de cada estado. Cada placa solar tem, em média, vida útil superior a 25 anos. Em nota, o MEC afirma que o que for economizado poderá ser destinado para ensino, pesquisa e extensão dos campi. “Somente em 2018, as instituições gastaram R$ 168 milhões com energia elétrica.”

Ministro Abraham Weintraub: economia de 25% ao ano com os painéis solares A estimativa é que, com as novas usinas, mais de 5 mil toneladas do gás poluente dióxido de carbono deixem de ser emitidas para a atmosfera.

Ao todo o valor total dessa verba foi de R$125 milhões, divididas entre as 63 universidades federais brasileiras, além do fato, de poderem utilizar o recurso, como garantia de ensino eficiente na pesquisa e na extensão dos campus universitários. Com a instalação dos sistemas geradores fotovoltaicos, a economia gerada anualmente nas contas de energia será de mais ou menos R$25,5 milhões a cada ano.

Institutos federais receberão R$ 60 milhões para usinas fotovoltaicas

Com o dinheiro economizado, as instituições de ensino superior, poderão utilizar o valor para incentivos aos estudos acadêmicos, proporcionando assim mais qualidade no ensino.


Ao todo serão mais de 2 milhões de estudantes que serão beneficiados em todo o território nacional.


De acordo com o MEC, esse será uma grande inciativa, que visará a autonomia financeira das universidades públicas do Brasil, por meio de captação de recursos próprios e do empreendedorismo.


Ao todo o valor da verba será dividido, logo 65%, equivalente a R$83,3 milhões, serão destinados a compra de painéis solares, e os outros 35% equivalente a R$43,7 milhões, será destinado a conclusão das obras paradas ou mesmo em andamento. A SESU SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR do Ministério da Educação, terá alguns critérios para a transferência do orçamento para uma determinada instituição. Sendo assim, só receberá a verba as Universidades com melhor qualidade e desempenho, além das mais eficientes e a das que possuem um menor custo por aluno. O anúncio da distribuição dessa verba milionária, foi realizada na sede do Ministério da Educação em Brasília, durante uma coletiva de imprensa no dia 29 de novembro. A coletiva contou com a presença do Abraham Weintraub o ministro da educação, Macel Botelho, reitor da UFRA – Universidade Federal do Amazonas e o Secretário de Educação Superior do MEC, o Arnaldo Lima. Uma semana antes, o Ministério da Educação, já havia anunciado a liberação de uma verba do valor de R$60 milhões para a instalação de usinas solares, em 38 instituições federais, no Colégio Pedro II, da cidade do Rio de Janeiro, e dois centros educacionais de tecnologia da informação.

Com os sistemas instalados nessas localidades, será economizado mais ou menos R$17 milhões por ano em eletricidade. O tempo médio das instalações fotovoltaicas, será de 25 anos, que é o tempo de vida padrão do painel solar. Serão ao todo mais de 800 placas solares, que utilizarão a luz do sol, para a obtenção de energia elétrica, que será utilizada por cada instituição beneficiada. Segundo informações divulgadas pelo próprio MEC, o painel irá gerar uma quantidade energética de mais ou menos 30,3 MWh a cada ano, isso será o equivalente a uma economia de mais de R$20 mil da conta de energia de cada instituição educacional.


Ao todo, as instituições teve um gasto de R$168 milhões em energia elétrica no ano de 2018.


Logo percebe-se que em alguns anos, o valor da verba já seria reposto.


Sabendo disso, o MEC informou que a quantia arrecadada com a economia, será revertida em melhorias do ensino, pesquisa além das extensões dos campus universitários.


Com o surgimento de novas usinas solares, estima-se que mais de 5 mil toneladas de gases poluentes, deixariam de prejudicar a atmosfera e todo o meio ambiente.


O Ministério da Educação, reforçou ainda que as instituições de níveis superiores, são focadas na educação profissional dos estudantes, além das pesquisas científicas e tecnológicas.


Além de serem responsáveis pela ampliação, diversificação e interiorização da educação tecnológica e profissional no país. Atualmente, mais de 11.700 cursos são ofertados nessas instituições, que possuem grande qualidade, desde o nível básico até a pós-graduação, onde milhares de alunos serão beneficiados.

Gostou? Quer ficar bem informado sobre as notícias da Energia Solar Shop, e interagir com a gente? Cadastre-se grátis e esteja sempre por dentro de todos os nossos conteúdos energiasolarshop.com.br