top of page

Fonte solar movimenta R$ 35 bilhões no primeiro semestre

Conjuntura favorável fez importação de módulos crescer 127% no período, aponta estudo da Greener.

Imagem: Divulgação


A alta competitividade da fonte solar fotovoltaica, a queda nos preços dos sistemas e do custo do frete internacional no primeiro semestre fizeram o País bater recorde de importação de equipamentos solares no período, o que deve movimentar investimentos superiores a R$ 35 bilhões para atender projetos de geração distribuída e de usinas centralizadas.


A conclusão é da consultoria Greener, em seu “Estudo Estratégico do Mercado Fotovoltaico de Geração Distribuída 2022”, que acompanha o desempenho do setor há cinco anos e que nessa versão analisou o primeiro semestre do ano.


Segundo dados da pesquisa de mercado, a conjuntura foi totalmente favorável. O volume de novas instalações, de 2,8 GW, foi 51% superior em comparação com o mesmo período de 2021 (1,8 GW), assim como os preços dos sistemas fotovoltaicos tiveram redução média de 4,3% e o frete internacional caiu 30% seu custo em comparação com o fim de 2021.


O cenário fez a importação de módulos solares fotovoltaicos crescer 127% no primeiro trimestre, com 5.274 MWp, em comparação com o mesmo período de 2021 (2.322 MW).


A consultoria credita o resultado também às mudanças regulatórias, com o novo marco legal de GD, e com a forte expectativa de crescimento.


Imagem: Divulgação


Apesar dos dados positivos, o estudo alertou também para o efeito da elevação das taxas de juros no semestre e aos preços de capex ainda elevados, já que a parcela de serviços de integração das instalações do setor residencial subiu em média 7% em relação a janeiro de 2022.


Esses fatores tiveram força, segundo a Greener, para tornar o crescimento da demanda por sistemas fotovoltaicos mais moderado.


O ambiente de juros altos se refletiu, por exemplo, na queda da participação do financiamento solar em projetos de GD, que apoiou 54% das vendas de sistemas no primeiro semestre, inferior aos 57% registrados na pesquisa do mesmo período de 2021.


Mesmo assim, de acordo com o estudo, houve aumento no número de instituições financeiras citadas pelos entrevistados (integradores) com linhas para o setor: 52, contra 40 da pesquisa anterior, indicando ampliação de 30% na oferta.


Fonte: Fotovolt