top of page

Energia que mais cresce no mundo nos últimos anos, a solar fotovoltaica poderá chegar em 2050

Com 75% de participação no mix global de eletricidade, segundo um novo estudo realizado pela Universidade de Tecnologia Lappeenranta, na Finlândia.


Intitulado “Eletricidade renovável de baixo custo como o principal impulsionador da transição energética global em direção à sustentabilidade”, o estudo demonstra a viabilidade econômica de um mercado global de energia com 100% de participação das fontes renováveis.


Imagem: Divulgação


Entre elas, os autores afirmam que a energia solar fotovoltaica conquistará a liderança com uma capacidade instalada de cerca de 63,38 Terawatts (TW), podendo atingir uma participação de até 69% no fornecimento total de energia primária ao final da primeira metade do século.



Mais uma vez, a forte queda registrada nos preços das renováveis é o principal fator na previsão sobre o setor global que, hoje, já apresenta sua maior força de expansão nessas fontes limpas.


Para um projeto fotovoltaico residencial, por exemplo, os autores preveem uma queda de mais de 54% no custo do kilowatt (KW) instalado entre 2020 e 2050, enquanto a redução para projetos comerciais é esperada em cerca de 56% nesse mesmo período.


Imagem: Divulgação


Nos projetos de grandes usinas solares, o estudo traça previsões para os dois tipos de instalações mais empregadas atualmente, de estrutura fixa e com rastreadores de eixo único, com ambas apresentando queda de aproximadamente 57,5% no custo do kW/instalado até 2050.


O relatório também prevê que a dessalinização movida a energias renováveis ​​será capaz de resolver o problema da escassez de água, fornecendo 3 bilhões de metros cúbicos de água limpa por dia.



No Brasil, um dos países com maiores níveis anuais de radiação solar do mundo, a fotovoltaica registra forte crescimento desde 2012, ano em que as regras da geração distribuída foram promulgadas pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica).


Desde então, a tecnologia já foi responsável por atrair R$44 bilhões em investimentos privados e empregar mais de 254 mil profissionais qualificados por todas as regiões do país, segundo o último levantamento da ABSOLAR (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica).


Imagem: Divulgação


Para 2021, a ABSOLAR calcula um crescimento de mais de 4,9 GW da energia solar no Brasil, com cerca de R$22,6 bilhões em investimentos e mais de 147 mil novos empregos gerados.


A estimativa para o setor é chegar ao final de 2021 com um total acumulado de mais de 377 mil empregos em energia solar no Brasil desde 2012, distribuídos entre todos os elos produtivos.



Para quem pretende trabalhar com energia solar e fazer parte desse crescimento sustentável do país, o primeiro passo é a conquista da capacitação técnica.


Mesmo com a grande demanda do mercado, somente profissionais certificados são selecionad bluesolos para a realização dos projetos e instalações dos sistemas.


Fonte: Bluesol

Kommentare

Mit 0 von 5 Sternen bewertet.
Noch keine Ratings

Rating hinzufügen
bottom of page