Conforme diretor da Trina Solar, o uso de células solares de 210 mm será destaque no mercado solar

Companhia presume que a utilização da tecnologia irá compor a principal tendência no futuro da cadeia fotovoltaica.

De acordo com Álvaro García-Maltrás, diretor-geral para a América Latina e Região do Caribe da Trina Solar, o uso de células solares de 210 mm em painéis fotovoltaicos será a principal tendência do mercado.



Ele ressaltou, durante evento on-line de inauguração do produto no Brasil, o uso desses materiais nos módulos Vertex 600W +.

Fonte: Trina Solar “Esses módulos são formados com células solares de 210 mm, que são atualmente as maiores disponíveis para a fabricação em massa. Na Trina, estamos convencidos de que o uso dessas células será a principal tendência no futuro, por motivos muito fáceis de explicar”, afirmou Álvaro. “Esses módulos são formados com células solares de 210 mm, que são atualmente as maiores disponíveis para a fabricação em massa. Na Trina, estamos convencidos de que o uso dessas células será a principal tendência no futuro, por motivos muito fáceis de explicar”, afirmou Álvaro. “Com elas, alcançamos maiores eficiências e potências, além de obter níveis mais baixos de tensão, permitindo um projeto elétrico mais econômico, especialmente em grandes usinas solares”, explicou o executivo. Ele destacou que, hoje em dia, existem tamanhos de células distintos no mercado, visto que essa nova tecnologia demanda investimentos consideráveis, os quais alguns fabricantes não podem realizar de forma imediata. “Felizmente para Trina Solar e para nossos clientes, podemos arcar com esses investimentos agora”. Segundo a Trina Solar, os painéis Vertex 600W+, com eficiência de 21,6% e potência ultra elevada, contam com aspectos diferentes para grandes empreendimentos, e a sua tecnologia atualizada de transporte, elaborada pela fabricante, possibilita a redução de gastos. A série possui interconexão de alta densidade, multi-bsbar (MBB), corte não destrutivo, alta potência e baixa voltagem por string. O executivo avaliou, durante a transmissão, que a produção das células de 210 mm começará no terceiro trimestre, mas contará com a possibilidade de grandes volumes disponíveis no fim do ano. “Obviamente, é preciso planejar grandes projetos com antecedência e os pedidos já podem ser discutidos imediatamente”. García-Maltrás apontou o aumento das vendas da companhia no território brasileiro, as quais somaram, em 2020, mais de 850 MWp em painéis solares, correspondendo ao incremento anual de 60%. “Tivemos um ano muito forte e a tendência é manter o desempenho em 2021. O crescimento do setor é maior do que esperávamos há dois anos. Estamos expandindo nossa equipe local, é preciso ter presença forte para atender cada vez mais clientes”. “O ano tem sido muito dinâmico em todos os sentidos, incluindo na logística e na cadeia de valor, tem sido muito instável e sujeito a grandes variações. É preciso estar presente para explicar as mudanças tecnológicas e atender no nível operacional. Há três anos, éramos um player pequeno no Brasil. Agora, buscamos ser o número 1”, acrescentou.

Fonte: Portal Solar Quer ficar bem informado(a) sobre os informativos da Energia Solar Shop, e interagir com a gente? Cadastre-se grátis e esteja sempre por dentro de todos os nossos conteúdos www.energiasolarshop.com.br/area-de-membros